500 anos da Reforma Protestante (1517 – 2017)

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

luteroMatinho Lutero foi autor das 95 teses que deram início à reforma da Igreja 

Istambul – 04/11/2016 – No próximo ano, a Igreja estará comemorando os 500 anos da Reforma Protestante, um dos eventos mais importantes do Cristianismo desde a Idade Média.

Como parte do início das comemorações, no último dia 31 de outubro, o Papa Francisco esteve na Suécia, país que separou da Igreja Católica no século XVI e tem uma forte herança luterana.

Realizada pelo monge agostiniano e professor de teologia Martinho Lutero, em 31 de outubro de 1517, a Reforma promoveu uma divisão entre a Igreja Protestante e a Igreja Católica, pois a fé era usada como instrumento de manipulação por parte das lideranças eclesiásticas e da nobreza.

O movimento liderado por Lutero discordava da postura adotada pela Igreja Católica, especialmente a doutrina de que o perdão de Deus poderia ser adquirido pelo comércio das indulgências.

As Teses de Lutero

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

Por isso, naquela data, Lutero fixou na porta do castelo de Wittenberg, na Alemanha, as Noventa e Cinco Teses, ou seja, seus pensamentos que desafiavam os ensinamentos da Igreja Católica quanto à natureza da penitência, a autoridade do Papa e a utilidade das indulgências.

Lutero defendia ainda que a Bíblia é infalível por ser inspirada pelo Espírito Santo e que qualquer pessoa deveria ter acesso a ela. É importante ressaltar que Lutero, antes de criar as teses, preocupava-se muito com sua salvação e havia se tornado um monge, dedicando sua vida ao estudo e ensino teológico.

Com isso, ele teve uma experiência importante de libertação após estudar as epístolas do apóstolo Paulo sobre a justificação pela fé, que vieram a servir de base para sua obra reformadora.

Entretanto, sua recusa em retratar-se de seus escritos, a pedido do Papa Leão X, em 1520, resultou em sua excomunhão da Igreja Romana e em sua condenação como um fora-da-lei pelo imperador do Sacro Império Romano Germânico.

Apesar disso, suas ideias correram o mundo e o documento com as 95 teses contribuiu para impulsionar o debate teológico que acabou por resultar no nascimento das tradições luteranas e anabatistas dentro do próprio Cristianismo.

Sua luta não foi nada fácil, mas fez com que surgissem muitas igrejas evangélicas ao redor do mundo e em especial no Brasil. Hoje, de acordo com o senso do IBGE (2000 – 2010), os evangélicos representam 25% da população e cresceu 61% em dez anos.

Compartilhe:

Deixe comentário