Papa pede perdão a protestantes por perseguição católica no passado

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

Papa Francisco 1Istambul – 28/01/2016 

O Papa Francisco tem mostrado ao mundo o que é ser cristão realmente, começando pelo seu jeito simples e humilde. Esta semana, durante cerimônia na Basílica de São Paulo, em Roma, com a participação de representantes de diversas religiões, Francisco pediu “perdão pelo comportamento não evangélico de católicos perante os cristãos de outras igrejas”. E ainda pediu aos católicos que perdoem aqueles que os perseguiram.

De acordo com o Vaticano, no dia 31 de outubro o papa irá para a cidade sueca de Lund – onde a Federação Luterana Mundial foi fundada em 1947 – para participar de cerimônia em conjunto com luteranos para lançar as comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante que ocorrerá em 2017.

Em 1517, o alemão Martinho Lutero não contente com a Igreja Católica por vender o perdão de pecados em troca de dinheiro, escreveu 95 teses e colocou-as na porta de uma igreja de Wittenberg, dando início à Reforma Protestante.

Houve então grande divisão da igreja em toda a Europa e dentro do Cristianismo, levando à Guerra dos 30 anos, à destruição de mosteiros ingleses e à queima de vários “hereges” de ambos os lados. 

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

O papa disse ainda que “a missão de cada cristão é evangelizar entre os pobres, e ressaltou que esta ação não significa fazer assistência social, muito menos atividade política”. Segundo ele, evangelizar os pobres “significa aproximar-se deles, servi-los, libertá-los de sua opressão e tudo em nome e com o espírito de Cristo”, afirmou o pontífice em sua catequese prévia à tradicional oração do Ângelus mariano.

“Não se trata de fazer assistência social, muito menos atividade política. Trata-se de oferecer a força do Evangelho de Deus, que transforma os corações, cura as feridas, transforma as relações humanas e sociais de acordo com a lógica do amor”, destacou.

De acordo com o papa, “anunciar o Evangelho, com a palavra e com a vida, é o principal fim da comunidade cristã e de cada membro”.

Internet e redes sociais

Papa Francisco, durante uma mensagem por ocasião do Dia Mundial das Comunicações da Igreja Católica Romana, falou também sobre o uso da tecnologia na evangelização e que a internet, as redes sociais e as mensagens de texto são “um dom de Deus” se usados com sabedoria. E que os e-mails, as redes sociais e os chats podem ser formas de comunicação plenamente humanas”.

“Não é a tecnologia que determina se a comunicação é autêntica ou não, mas o coração do homem e a sua capacidade de fazer bom uso dos meios ao seu dispor. As comunicações modernas são “um dom de Deus, e também uma grande responsabilidade”, disse o pontífice”, destacou.

Compartilhe:

Deixe comentário